A FORÇA DO MARKETPLACE NA PANDEMIA

A pandemia trouxe ao mundo inteiro a urgência da evolução, da reinvenção. E essa mudança atingiu vários setores, sobretudo o setor comercial.

Com a necessidade de fechamento de muitas lojas físicas, comerciantes de todo o mundo voltaram suas vendas para o digital.

a força do marketplace na pandemia

Essa migração acabou fortalecendo os já existentes marketplaces, sites de comércio eletrônico que unem vendedores, sejam pessoas ou empresas, e servem como intermédio para compra e venda dos mais variados produtos.

Segundo a Mirakl, empresa francesa para design de comércio digital, os marketplaces cresceram o dobro do e-commerce somente no ano de 2020.

Cerca de 7 milhões de novos usuários fizeram sua primeira compra através da internet, gerando um faturamento 47% maior do que os anos anteriores.


Imagem de ElasticComputeFarm por Pixabay

Tudo isso pelo fato das pessoas encontrarem nas lojas virtuais uma alternativa extremamente essencial durante a pandemia, não apenas pela segurança de realizar a compra ou venda de um produto direto de casa, mas pela facilidade e comodidade. 

Aderindo ao marketplace você traz para sua loja uma maior visibilidade, graças ao advento da internet e seu diversificado sistema de divulgação, além de maior variedade e segurança nas formas de pagamento, e aumento da confiança do cliente que começa a ligar o seu produto ao nome da loja que o está divulgando. 

Isso termina por aumentar o fluxo de clientes e consequentemente os seus lucros.

Foto de Sunyu Kim no Unsplash

Outra grande facilidade do comércio digital, é que ele apresenta uma série de oportunidades de atuação em nicho.


Isso significa que você pode encontrar diversos marketplaces voltados especificamente para o produto que você quer comercializar.

São inúmeros marketplaces que realizam a venda de produtor como bebidas, comidas, móveis, produtor eletrônicos, e até mesmo veículos.


Isso dá ao comerciante a segurança de que seu produto será encontrado por pessoas que tem real interesse nele, e não ficará preso em uma “prateleira eletrônica” junto de vários outros produtos diferenciados que nada tem a ver com aquilo que você quer vender.


A razão disso é que, para comerciantes que estão começando, competir em marketplaces que vendem de tudo como o Mercado Livre ou Amazon, é muito difícil.

Seu produto pode ficar em exposição por muito tempo até que alguém que tenha real interesse nele o encontre em um desses sites.


Então a melhor solução é listar suas paixões, buscar o que você realmente quer vender, e procurar um marketplace voltado para aquele produto em específico.


Leia também COMERCIO ELETRÔNICO


Segundo o relatório da e-Commerce Brasil feito em Abril de 2021, a Samsung cresceu 78% em vendas entre fevereiro de 2020 e março de 2021 dentro do setor eletrônico, enquanto a Magazine Luiza cresceu 57% no mesmo período com o setor varejista.


Esses valores não mostram apenas o crescimento dessas empresas, mas daqueles comerciantes que as utilizam como marketplace. O que mostra o quão fundamental a participação no e-commerce tem sido durante a pandemia.


Diversificar seus meios de vender focando em um tipo de produto aumenta consideravelmente seus lucros, abrindo a possibilidade de investir em seu próprio marketplace e crescer ainda mais como vendedor. 

____________

Editor do blog

Compartilhe nas suas redes sociais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Mais Lidas

FORNECEDORES DE SUCESSO


 

Total de visualizações de página

Publicidade